Última atualização em .

Em agosto serviços crescem 1,2% e varejo 1,3%

SERVIÇOS

 

O avanço na passagem de julho para agosto foi acompanhado por três das cinco atividades investigadas, com destaque para transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, que cresceu 3,2% e recuperou parte da perda de 3,9% de julho. Vale destacar os efeitos da greve dos caminhoneiros nos meses de maio (-10,2%) e junho (15,4%) nesse segmento. Os demais resultados positivos vieram dos serviços profissionais, administrativos e complementares (2,2%, recuperando integralmente a perda de 1,1% em julho) e de outros serviços (1,0%, recuperação parcial da perda de 3,0% em julho). Por outro lado, os serviços de informação e comunicação (-0,6%) e os prestados às famílias (-0,8%) tiveram influência negativa, com o último devolvendo parte do crescimento de julho (4,1%), quando recuperou a perda de 4,0% acumulada entre os meses de maio e junho. O material de apoio da Pesquisa Mensal de Serviços está à direita desta página.

 

VENDAS DO VAREJO

O crescimento de 1,3% no volume de vendas do comércio varejista, na passagem de julho para agosto de 2018, na série com ajuste sazonal, mostra resultados positivos em sete das oito atividades pesquisadas: Tecidos, vestuário e calçados (5,6%), Combustíveis e lubrificantes (3,0%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,5%), Móveis e eletrodomésticos (2,0%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,9%), Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,7%) Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (0,6%). A única atividade com taxa negativa em agosto foi Livros, jornais, revistas e papelaria (-2,5%), que mostra comportamento predominantemente negativo desde maio, acumulando perda de 9,7% nesse período.

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário