Última atualização em .

129.601 postos de trabalho são gerados em abril/19

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o emprego formal no Brasil apresentou crescimento em Abril de 2019, registrando saldo de 129.601 postos de trabalho, equivalente à variação de +0,34% em relação ao estoque no mês anterior. Houve crescimento do emprego em todos setores econômicos. Esse resultado decorreu de 1.374.628 admissões e de 1.245.027 desligamentos. No ano, foram criados +313.835 empregos, com variação de +0,82%. Nos últimos doze meses, houve crescimento de +477.896 empregos, representando variação de +1,25%.

SETOR DE ATIVIDADE

Em Abril/2019, os dados registram saldo positivo no nível de emprego nos Serviços (66.295 postos), Indústria de Transformação (20.479 postos), Construção Civil (14.067 postos), Agropecuária (13.907 postos), Comércio (12.291 postos), Administração Pública (1.241 postos), SIUP (867 postos), Extrativa Mineral (454 postos).

TERRITÓRIO

No recorte geográfico, verificou-se em abril/2019 que todas as regiões apresentaram saldo de emprego positivo:

·      Centro-Oeste (15.240 postos, 0,47%)

·      Sul (14.570 postos, 0,20%)

·      Norte (3.092 postos, 0,17%)

·      Sudeste (81.106 postos, 0,40%)

·      Nordeste (15.593 postos, 0,25%)

 

Em abril/2019, vinte e três Unidades Federativas (UF) registraram variação positiva no saldo de emprego e quatro UFs apresentaram variação negativa. Os maiores saldos de emprego ocorreram em:

·      São Paulo: +50.168 postos (0,42%)

·      Minas Gerais: +22.348 postos (0,55%)

·      Paraná: +10.653 postos (0,41%)

Os menores saldos de emprego ocorreram em:

·      Alagoas: -4.692 postos (-1,40%)

·      Rio Grande do Sul: -2.498 postos (-0,10%)

·      Rio Grande do Norte: -501 postos (-0,12%)

 

A nova lei trabalhista fez grandes contribuições. O regime de trabalho intermitente contribui gerando saldo de 5.422 empregos. O regime de trabalho em tempo parcial contribuiu gerando saldo de 2.827 empregos.

 

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário