Última atualização em .

Mercado caiu hoje mas conspira alta em segredo

Wall Street se esforça para manter o ímpeto de alta

As ações dos EUA terminaram em queda nessa terça-feira, com os investidores otimistas com a recuperação econômica global olhando para uma série de divulgações de dados no calendário dos EUA em busca de mais pistas sobre a tendência da inflação e da recuperação do crescimento. As vendas de novas residências unifamiliares nos EUA caíram em abril, uma vez que os preços dispararam em meio a uma oferta restrita de casas, ao mesmo tempo que um relatório mostrou que a confiança do consumidor dos EUA ficou praticamente inalterada em maio. Inflação PCE, consumo pessoal, PIB, pedidos de seguro-desemprego e bens duráveis devem ser divulgados esta semana. Ao mesmo tempo, os investidores digeriram a narrativa do Fed de que um aumento na inflação é transitório e que o banco central continuará a permanecer ultra-acomodatício até que a economia se recupere ainda mais. O Dow Jones perdeu cerca de 80 pontos, liderado por uma queda na Amgen Inc. O S&P 500 caiu 9 pontos ou 0,2% para 4.188. Enquanto isso, o Nasdaq de alta tecnologia terminou a sessão praticamente estável em 13.657.

No Brasil, o mau humor externo contaminou a bolsa aliado a uma pausa no andamento das reformas e privatizações com mercado dando de ombros para uma CPI que nada traz de relevante fora palanque 2022 para alguns senadores pouco preocupados com o país e sem biografia que sirva para algo. O Ibovespa fechou em queda de 0,84% aos 122.987 pontos arrastado principalmente por queda de empresas de commodities. Os destaques de hoje foram para Ambev (ABEV3) -0,11%, Itaú (ITUB4) -1,05%, Bradesco (BBDC3) -0,98%, Petrobrás ON (PETR3)  -1,79% e Petrobrás PN (PETR4) -2,08%.

Pingbacks

Pingbacks estão abertas.

Trackbacks

Trackback URL

Comentários

Ainda não há comentários.

Publique seu comentário